UBS da CeasaMinas passa a contar com ação voltada à prevenção de IST's PDF Imprimir E-mail
Ter, 08 de Outubro de 2019 19:40

A Uni­da­de de Aten­di­men­to de Saúde, loca­li­za­da den­tro da CeasaMG, passa a con­tar com uma ação de Tes­ta­gem e Acon­se­lha­men­to de IST's. O ser­vi­ço é ofer­ta­do em par­ce­ria com o Cen­tro de Con­sul­tas Espe­cia­li­za­das (CCE) Res­sa­ca, e o Pro­gra­ma IST/AIDS e Hepa­ti­tes ­Virais do muni­cí­pio de Con­ta­gem.
O CTA é um ser­vi­ço de saúde da rede SUS que pro­mo­ve o aces­so ao acon­se­lha­men­to e ao diag­nós­ti­co do HIV, sífi­lis, e hepa­ti­tes B e C, doen­ças conhe­ci­das como Infec­ções Sexual­men­te Trans­mis­sí­veis (IST's).
Inau­gu­ra­da em julho de 2018, a uni­da­de do entre­pos­to CeasaMinas aten­de fun­cio­ná­rios e fre­quen­ta­do­res com vaci­nas, cura­ti­vos e tam­bém ações vol­ta­das para a saúde do tra­ba­lha­dor. Cerca de 80 mil pes­soas são bene­fi­cia­das com mais esse equi­pa­men­to. A inau­gu­ra­ção foi pos­sí­vel gra­ças a uma par­ce­ria sela­da entre a Pre­fei­tu­ra de Con­ta­gem e a Ceasa Minas.
De acor­do com a geren­te da uni­da­de, Ânge­la Ribei­ro, a Ceasa é fre­quen­ta­da, prin­ci­pal­men­te, por ­homens, em sua maio­ria cami­nho­nei­ros. "Eles rela­tam que man­têm rela­ções ­sexuais por vezes des­pro­te­gi­dos, então, é muito impor­tan­te se sub­me­te­rem ao teste para des­car­tar o diag­nós­ti­co ou, em caso de tes­tes posi­ti­vos, rea­li­zar todo o tra­ta­men­to que é ofe­re­ci­do a estes usuá­rios, via Rede SUS", des­ta­cou a geren­te.
Serão aten­di­dos, men­sal­men­te, 13 tra­ba­lha­do­res do entre­pos­to. Os inte­res­sa­dos deve­rão pré-agen­dar os tes­tes na uni­da­de. Além do acon­se­lha­men­to, da tes­ta­gem e do diag­nós­ti­co, o CTA dis­po­ni­bi­li­za orien­ta­ções e enca­mi­nha os usuá­rios com resul­ta­dos rea­gen­tes para o tra­ta­men­to a ser rea­li­za­do na sede do Pro­gra­ma loca­li­za­do no CCE Iria Diniz. "Nosso obje­ti­vo é mos­trar para as pes­soas que tra­ba­lham na Ceasa a impor­tân­cia de se pre­ve­nir, bem como o risco que se tem ao man­ter rela­ções sem pre­ser­va­ti­vos", des­ta­cou a psi­có­lo­ga e acon­se­lha­do­ra do CTA Res­sa­ca, Kris­tie Oliva.