Polícia desmente delação contra Alex de Freitas PDF Imprimir E-mail
Qui, 11 de Julho de 2019 13:32

A Polí­cia Civil de Minas ­Gerais (PCMG) con­fir­ma que não há dela­ção con­tra o pre­fei­to de Con­ta­gem, Alex de Frei­tas (sem par­ti­do), sobre supos­tas irre­gu­la­ri­da­des na pres­ta­ção do ser­vi­ço fune­rá­rio na cida­de.

De acor­do com a cor­po­ra­ção, foi feita uma denún­cia cujo teor ainda não pôde ser com­pro­va­do. O pro­cu­ra­dor-geral do Muni­cí­pio, ­Marius Car­va­lho, comen­tou o caso nesta sema­na dizen­do que trata-se de acu­sa­ção "fan­ta­sio­sa". A Pre­fei­tu­ra de Con­ta­gem, por sua vez, infor­ma que já ins­tau­rou pro­ce­di­men­to de con­tro­le inter­no para apu­rar o caso.
Na Cer­ti­dão expe­di­da pelo ­Nú­cleo de Com­ba­te aos Cri­mes pra­ti­ca­dos por Agen­tes Polí­ti­cos Muni­ci­pais com Foro de Prer­ro­ga­ti­va de Fun­ção, na últi­ma terça-feira (2 de julho), a Polí­cia Civil des­ta­ca que "... o denun­cian­te mani­fes­tou o seu inte­res­se em fir­mar acor­do de cola­bo­ra­ção pre­mia­da com a Jus­ti­ça Públi­ca, pacto este que ainda não se con­so­li­dou". ­Marius Car­va­lho res­sal­ta que o que há con­tra o pre­fei­to Alex de Frei­tas é ape­nas um depoi­men­to. "Essa acu­sa­ção par­tiu de um cida­dão que foi até a Polí­cia Civil e fez ­várias acu­sa­ções que não são ve­- ros­sí­meis, e não apre­sen­tou prova nenhu­ma", afir­ma.
De acor­do com a Cer­ti­dão emi­ti­da pela Polí­cia Civil, o denun­cian­te Rober­to César Nery da Matta com­pa­re­ceu à Dele­ga­cia no últi­mo dia 14 de junho, acom­pa­nha­do do advo­ga­do ­Hebert Lúcio de Cas­tro, para pres­tar depoi­men­to, cujo teor narra, em tese, supos­ta prá­ti­ca de ile­ga­li­da­de no ser­vi­ço fune­rá­rio de Con­ta­gem. No entan­to, suas acu­sa­ções não pude­ram ser com­pro­va­das, ainda, e por isso não exis­te dela­ção pre­mia­da con­tra o pre­fei­to.
A Cer­ti­dão da Polí­cia Civil enfa­ti­za que todo pro­ce­di­men­to inves­ti­ga­tó­rio será feito à luz da lei, de manei­ra impar­cial e sem qual­quer tipo de influên­cia polí­ti­ca. "Faz-se mis­ter res­sal­tar que os fatos tra­zi­dos à baila pelo nacio­nal supra­ci­ta­do será alvo de inves­ti­ga­ção téc­ni­ca e impar­cial pela PCMG", des­ta­ca a cor­po­ra­ção.

Lici­ta­ção


No iní­cio de junho, a Secre­ta­ria Muni­ci­pal de Admi­nis­tra­ção lan­çou edi­tal de lici­ta­ção para regu­la­ri­zar o ser­vi­ço fune­rá­rio de Con­ta­gem. Os enve­lo­pes com as pro­pos­tas serão aber­tos em 22 de julho. As empre­sas pode­rão se unir em con­sór­cio para par­ti­ci­par do cer­ta­me de "Con­ces­são da pres­ta­ção de ser­vi­ços fune­rá­rios e da revi­ta­li­za­ção, manu­ten­ção, ope­ra­ção, explo­ra­ção e ges­tão de veló­rios públi­cos". Com a lici­ta­ção, a  Pre­fei­tu­ra vai ­ampliar o núme­ro de famí­lias de baixa renda aten­di­das pelos ser­vi­ços ­sociais, pas­san­do para 1.080 aten­di­men­tos por ano.