Corte da roti­na os seis hábi­tos que fazem você comer ­demais PDF Imprimir E-mail
Qua, 29 de Maio de 2019 14:26

Emagrecer é difícil. Permanecer magro é mais complicado ainda, principalmente nas primeiras fases da mudança, quando você ainda está se adaptando à nova condição.
Precisa ter muita fora de vontade para manter uma alimentação correta, afirma a nutricionista do MinhaVida, Karina Gallerani.
Com a pressa que toma conta da rotina, os problemas só aumentam. Falta tempo para cozinhar e o jeito é comer fora, o número de refeições diminui e o consumo excessivo de alimentos em uma refeição noturna é comum, graças aos compromissos de trabalho ou escolares. Comer demais é um erro que se dissolve no nosso dia a dia, afirma Karina. Para evitá-lo, o melhor jeito é se prevenir das situações que nos forçam a exagerar na dose. Para ajudar você a mudar de atitude, a nutricionista mapeou as principais ocasiões que ameaçam o seu regime. Fique de olho!

Por Minha Vida

Pular refei­ções - Quem fica sem comer achan­do que isso ema­gre­ce vai ­sofrer quan­do se pesar da pró­xi­ma vez. Isso por­que a fome acu­mu­la e você exa­ge­ra na dose. Além disso, uma dieta pobre pre­ju­di­ca a pro­du­ti­vi­da­de no tra­ba­lho e desen­ca­deia ­sérios pro­ble­mas à saúde. Dei­xar de ter um bom café da manhã, por exem­plo, é um erro comum que acaba levan­do a pes­soa a não ter ener­gia duran­te o dia e favo­re­ce o con­su­mo de lan­ches caló­ri­cos que fazem engor­dar. Uma ali­men­ta­ção balan­cea­da ­requer refei­ções a cada 4 horas, garan­tin­do maior sacie­da­de e pos­si­bi­li­tan­do ­melhor con­tro­le meta­bó­li­co e nutri­cio­nal.

Assis­tir à tele­vi­são enquan­to se ali­men­ta - Assis­tir à tele­vi­são por lon­gos perío­dos é um forte fator para a obe­si­da­de. Seu cora­ção, pres­são san­guí­nea e meta­bo­lis­mo dimi­nuem. Isso favo­re­ce o acú­mu­lo de gor­du­ra, até por­que os ali­men­tos que acom­pa­nham esse hábi­to não são nada sau­dá­veis. Comer assis­tin­do tele­vi­são, lendo uma revis­ta, falan­do ao tele­fo­ne, entre ­outras ati­vi­da­des, dis­trai e faci­li­ta os exces­sos ali­men­ta­res. O ideal é sen­tar-se à mesa, num ambien­te tran­qüi­lo. Ali­men­te-se deva­gar, des­can­san­do os talhe­res sobre a mesa entre uma por­ção e outra. Faça um teste e per­ce­ba que você neces­si­ta de uma por­ção muito menor para se sen­tir sacia­do.

Con­su­mir mui­tos car­boi­dra­tos sim­ples - Eles são deli­cio­sos. Mas, dige­ri­dos mais rapi­da­men­te, e ele­vam os ­níveis de açú­car no san­gue. Balas, doces,cho­co­la­tes pães e bolos de fari­nha bran­ca levam o pân­creas a bom­bear quan­ti­da­des ainda maio­res de insu­li­na para aju­dar a res­ta­be­le­cer os ­níveis nor­mais de açú­car no san­gue. Quan­do isso acon­te­ce, o estô­ma­go e o cére­bro ­enviam ­sinais de fome, rei­ni­cian­do o ciclo. Se, mais uma vez, você satis­fi­zer o ape­ti­te com car­boi­dra­tos sim­ples, você vai dese­jar ainda mais doce. Mas ao invés de sen­tir-se cheio e satis­fei­to, você se sen­ti­rá cons­tan­te­men­te famin­to. Isto sig­ni­fi­ca que uma dieta que con­tém muito car­boi­dra­to sim­ples pode levá-lo a um ciclo vicio­so onde se come mais e mais.

Pagar para comer à von­ta­de - Outro erro muito comum é se ali­men­tar em exces­so ao rea­li­zar as refei­ções em res­tau­ran­tes que pos­suem um preço fixo para comer à von­ta­de. Não é pre­ci­so lim­par o prato só por­que pagou por ele, o ideal é parar de comer quan­do esti­ver satis­fei­to.

 

 

 

Comer muito rápi­do - Esse é um hábi­to cada vez mais comum, prin­ci­pal­men­te em cida­des gran­des. Comer rapi­da­men­te faz com que você coma muito antes de per­ce­ber que já está satis­fei­to. O cére­bro leva um tempo para come­çar a ­enviar ­sinais de satis­fa­ção. Mas­ti­gar mal os ali­men­tos pre­ju­di­ca a diges­tão e é fator de risco para uma sín­dro­me meta­bó­li­ca, uma com­bi­na­ção de sin­to­mas como pres­são alta, obe­si­da­de, coles­te­rol alto, e resis­tên­cia à insu­li­na.

 

Belis­car - Duran­te as ati­vi­da­des do dia-a-dia, este hábi­to aumen­ta as chan­ces de ficar acima do peso. Avon­ta­de de belis­car toda hora vem quan­do não nos ali­men­ta­mos cor­re­ta­men­te duran­te as refei­ções esti­pu­la­das ou quan­do os ali­men­tos que com­põem essas refei­ções são de baixo valor nutri­cio­nal.
Saben­do dis­tin­guir a fome da von­ta­de de comer e mar­can­do horá­rios fixos para as refei­ções,sem inter­va­los muito gran­des entre elas, a von­ta­de de belis­car passa e você come menos. Evite dei­xar doces, bolos, cho­co­la­tes e petis­cos nos armá­rios de casa.